The Big Four

A história chama Big Four aos principais aliados que ganharam a Primeira Guerra Mundial. Porém, para nós alunos de economia e gestão, Big Four é a expressão utilizada para referir as quatro maiores empresas de auditoria externa e consultoria, que oferecem serviços tanto para grandes empresas privadas, como para empresas cotadas na bolsa de valores. São elas Deloitte, Ernst & Young (EY), PricewaterhouseCoopers (PwC), e Klynveld Peat Marwick Goerdeler (KPMG).

Contudo, nem sempre foi assim, antes de existirem as Big Four existiam oito grandes empresas de auditoria que foram reduzidas, através de diversas fusões, a quatro grandes empresas. Atualmente, com uma receita combinada de 160 bilhões de dólares e mais de um milhão de funcionários, as Big Four são vistas como símbolo de confiança pelos investidores, realizando a auditoria de 497 empresas presentes no S&P500.

Outro número surpreendente é a taxa de crescimento das Big Four, que apresenta um impressionante valor de 10% ao ano, semelhante ao da expansão do PIB da China. Crescimento extraordinário, se pararmos para pensar que algumas destas empresas existem há mais de 150 anos e são líderes no mercado onde atuam. No entanto, com estes resultados surge a seguinte questão: como é que as Big Four se mantêm relevantes num contexto global de extrema volatilidade? A resposta apresenta-se por meio de duas palavras: diversidade e criatividade.

A presença das Big Four no sector de consultoria não é algo novo, todavia, a área de atuação dentro deste setor expandiu drasticamente e, atualmente, foca desde a gestão de funcionários até à cyber security. Deste modo, com o objetivo de permanecerem líderes num mercado competitivo, estas empresas aumentaram o seu círculo de conhecimentos mediante parcerias, aquisições e crescimento orgânico, tornando-se assim especialistas em diversos ramos.

Além das Big Four diversificarem a área da consultoria, também se têm vindo a focar na criatividade. Surpreendentemente, a Deloitte Digital e a PwC Digital Services estão entre as 10 maiores agências de criatividade, oferecendo consultoria estratégica na área de marketing. Neste sentido, as Big Four auxiliam a realização de análises de dados para perceber a melhor combinação de conteúdos publicitários tanto online como offline de forma a potencializar o valor da marca e a alocação eficiente de recursos.

Conclui-se que, a diversidade e a criatividade foram essenciais para a revolução do papel das Big Four na sociedade, para além de continuarem a contribuir para o crescimento de diversas empresas. Diante deste panorama, as Big Four conseguiram afirmar a sua presença independentemente do ciclo económico, sendo que, se em épocas de recessão ajudam os clientes a superar ineficiências, em épocas de expansão oferecem consultoria para os ajudar a alcançar novas oportunidades. Por fim, num ambiente de rápida mudança as Big Four provaram a sua resiliência e capacidade de adaptação constante.

 

Carolina Britto

Partilhar:

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin

Deixe uma resposta

Relacionados

The Big Four

A história chama Big Four aos principais aliados que ganharam a Primeira Guerra Mundial. Porém, para nós alunos de economia e gestão, Big Four é

Taça Ribeiro Santos

A AEISEG agradece a todos os jogadores que participaram na Taça Ribeiro Santos, e parabeniza-os pelo empenho e fair-play que demonstraram ao longo de todo